Encontrando Sentido na Vida

#400

Encontrando Sentido na Vida

Olá Dr. Craig

Estou escrevendo da Suécia, então eu espero que você possa entender o significado das minhas perguntas, mesmo não estando em um inglês* perfeito.

Eu deveria começar dizendo que eu não sou cristão, como a maioria das pessoas no meu país e eu tenho escutado você demais no youtube para ser estúpido o suficiente de me chamar um ateu.

Alguns meses atrás, eu comecei a pensar sobre a vida, de uma forma que eu não tinha feito antes.

Comecei a me fazer as grandes perguntas. Qual é o sentido da minha vida? Qual é a razão de estarmos aqui? O que me faz importante?

Infelizmente, eu não consegui encontrar as respostas a estas perguntas e quanto mais eu pensava sobre elas, mais difícil se tornou viver o meu dia-a-dia.

Tudo o que eu tinha amado na minha vida, agora parecia tão sem sentido.

Nesse ponto, eu me virei para um dos meu amigo mais próximo que é um cristão, para buscar algumas respostas.

Ele me deu um livro que você escreveu (na verdade, foi assinado por você) onde você defende a fé cristã. Eu o li, e você realmente me deu muito boas razões para acreditar em Deus.

Mas isso não ajudou a responder às minhas perguntas.

Se NÃO há Deus, eu morro e minha vida aqui na terra foi sem sentido. Se EXISTE um Deus, eu morro e minha vida aqui na terra foi sem sentido. Em breve irei explicar como eu penso isso.

Com estas perguntas ainda me incomodando eu comecei a ler a Bíblia. E isso me assustou ainda mais.

A Bíblia e fé cristã não dão nenhum sentido à minha vida. Para a vida que eu amava antes destas perguntas começarem a passar pela minha cabeça.

A Bíblia me diz que há um Deus e que a minha vida só tem sentido se eu passasse o resto da minha vida contando a outras pessoas sobre ele.

Isso é uma coisa muito difícil para alguém que não seja cristão, que procure sentido para sua vida aceitar aqui e agora como estão as coisas, e que não tenha nenhuma relação com Deus.

Assim, as maiores perguntas que eu me faço, e que agora lhe repasso, são: a única razão para viver a vida como um cristão é contar aos outros sobre Deus? É esse o sentido da vida?

E, finalmente, porque, porque, porque as pessoas que acreditam em Deus mas vivem aqui na terra em circunstâncias terríveis (pobreza, depressão, doença, guerra) ainda devem continuar a viver aqui? Não seria melhor simplesmente morrer e ir para o céu?

Espero ter feito algum sentido. E que você possa clarear alguns dos meus pensamentos perturbadores.

Tudo de bom,

Um sueco perdido

Suécia

United States

Eu certamente posso simpatizar com o fato que para uma pessoa não-crente como você, a perspectiva de passar a vida contando aos outros sobre Deus não parece ser muito atraente. Mas isso é porque você ainda não se apaixonou por Ele. Uma pessoa que esteja apaixonada quer contar aos outros sobre seu amado, mostrar fotos dela ou dele para os outros, pensar muitas vezes sobre ela ou ele. Mas alguém que não está apaixonado é capaz de dizer: "Passar a minha vida falando sobre ela (ele) para outras pessoas? Você está brincando?"

De qualquer forma, você pode respirar tranquilo. Pois, ao contrário do que lhe foi dito, o sentido da vida não é falar a outras pessoas a respeito de Deus. Isso é uma falsa impressão que provavelmente decorre de confundir a vocação de alguém com o significado de sua vida. Algumas pessoas, como eu, se sentem chamadas a dizer às outras pessoas a respeito de Deus como sua vocação. Mas nem todo cristão é chamado para isso. Alguns podem ser chamados a ser um artista ou um cientista ou um agricultor de arroz. Certamente todo mundo deve estar sempre pronto para compartilhar sua fé quando a oportunidade se apresenta, mas isso não quer dizer que essa é a sua vocação na vida.

Seja qual for a nossa vocação, o significado fundamental de nossas vidas deve ser encontrado em conhecer a Deus. Em resposta à pergunta: "Qual é o fim principal do homem?", O Catecismo Menor de Westminster responde, "glorificar a Deus e gozá-lo para sempre". Que perspectiva tão maravilhosa! Deus é a fonte e origem de infinita bondade e amor, o paradigma de valor moral. Conhecê-Lo é um bem incomensurável, a realização da existência humana. Só Deus pode para sempre satisfazer os nossos desejos mais profundos.

Tenho certeza de que a sua necessidade é de algum tipo de significado objetivo para sua vida, uma fonte de valor infinito, e um propósito objetivo para sua existência que vai além da sepultura. Tudo o que pode ser encontrada através do conhecimento do Deus infinito.

Agora, uma vez que você se torna um cristão, Deus pode revelar a você qual deve ser a sua vocação na vida, e talvez você vá se surpreender ao descobrir que você tem o desejo de contar aos outros sobre Ele e Seu amor. Mas talvez Deus tenha outros planos para você. Quem sabe?

Finalmente, quanto aqueles que sofrem terrivelmente, sim, seria melhor para eles, pessoalmente, que morressem e fossem estar com Deus (isso é verdade para qualquer um, quando você pensa sobre isso!), mas Deus pode muito bem ter boas razões para mantê-los aqui: coisas para eles fazerem ou mesmo as pessoas que serão influenciadas por suas vidas, talvez pela sua coragem e perseverança em suportar o sofrimento. O apóstolo Paulo, que sofreu muito e estava diante do martírio, escreveu: "Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor; todavia, por causa de vós, julgo mais necessário permanecer na carne. E, tendo esta confiança, sei que ficarei, e permanecerei com todos vós para vosso progresso e gozo na fé;" (Filipenses 1. 23-25). Deus pode ter grandes coisas para realizar através do sofrimento das pessoas.

Mas, comece do princípio. Em primeiro lugar, venha a conhecer a Deus colocando a sua confiança em Cristo para o perdão e salvação. Em seguida, tendo chegado a conhecê-Lo, pergunte como você deve passar a sua vida vivendo qual seja o chamado que Ele tem para você. Você pode até achar as coisas que você uma vez amou na vida infundidas com um novo encanto e significado.



* A pergunta original foi escrita em inglês

William Lane Craig