Por que Deus Peixa que os Muçulmanos Sigam Iludidos?

#402

Por que Deus Peixa que os Muçulmanos Sigam Iludidos?

Olá dr. Craig e desculpe-me pelo meu inglês* ruim.

Tenho assistido seus debates e palestras e eu os achei muito bons e úteis.

Há uma pergunta que pensei em relação ao teísmo clássico (teísmo especificamente cristão) que tem algo a ver com as pessoas boas que são seguidoras de outras religiões, pessoas que amam a Deus e adoram-no e fazem muitas boas obras para ele, mas eles morrem sem conhecer o verdadeiro Deus (o qual você acredita ser o deus cristão).

Por exemplo, na minha sociedade muçulmana, há pessoas que tudo o que sabem sobre o cristianismo é que é mais uma religião falsa, como todas as religiões não-islâmicas e eles nunca pensam na possibilidade de que é a religião verdadeira, porque eles não têm nenhuma razão para fazê-lo. Portanto, eles continuam com o Islã, com um coração puro, eles fazem todo o possível para serem bons muçulmanos. Então como Deus pode deixar que eles sigam iludidos? Eles não merecem ser orientados sobre esta ilusão?

Desculpe novamente pelo meu inglês e obrigado

Raef

Jordânia

Jordan

Sua pergunta, Raef, é uma que confronta todos os particularistas religiosos, sejam muçulmanos ou cristãos. Eu poderia facilmente ter colocado a pergunta para você:

Na minha sociedade cristã há pessoas que tudo o que sabem sobre o Islã é que é mais uma religião falsa, como todas as religiões não-cristãs e eles nunca pensam na possibilidade de que é a religião verdadeira, porque eles não têm nenhuma razão para fazê-lo, portanto, eles continuam com o cristianismo e com um coração puro fazem o possível para serem bons cristãos. Então como Alá pode deixá-los iludidos?

Embora algumas pessoas tenham dissimuladamente tentado excluir o Islã de ser uma religião inclusivista, o Alcorão é bastante claro que as pessoas que acreditam no que os cristãos creem sobre Jesus são blasfemadores cujo destino é o inferno. Assim, o muçulmano, como o cristão, deve enfrentar a difícil pergunta de como Deus pode negligenciar as pessoas que sofrem de um delírio religioso.

Parece-me que não há injustiça da parte de Deus em deixar que algumas pessoas sejam enganadas, já que esta ilusão seja o resultado de seu próprio pecado e rejeição da revelação geral de Deus na natureza e consciência. (Leia o primeiro capítulo da carta de Paulo aos Romanos, na Bíblia). Por isso, é falso dizer que eles "merecem não ser iludidos ou enganados". Pelo contrário, todos nós merecemos a condenação, não misericórdia.

Mas aqui o problema é pior para o cristão do que para o muçulmano. Pois a Bíblia afirma que Deus ama essas pessoas e quer a sua salvação. Em contrapartida, o Alcorão afirma repetidamente que Deus não ama os pecadores ou incrédulos. Seu amor é dado apenas para aqueles que primeiro o amam. Portanto, não há problema se Deus simplesmente exclui essas pessoas. É claro que eu acho que isso só serve para expor a deficiência moral do conceito islâmico de Deus. Como uma pessoa cujo amor é parcial, condicional e tem de ser conquistado, Alá não é o maior ser concebível e, portanto, não é Deus. O problema não é que Deus seria injusto ao deixar as pessoas em sua ilusão, mas que Ele não seria amoroso.

Esta é uma pergunta com a qual eu sinceramente luto. Há uma seção inteira deste site dedicado a minhas publicações sobre este tema, e eu a recomendo a você.

Em poucas palavras eu argumento, em primeiro lugar, que ninguém foi capaz de mostrar uma contradição entre

1. Deus é todo-amoroso e todo-poderoso.

e

2. Algumas pessoas nunca ouviram o evangelho de Cristo e estão perdidas.

Em segundo lugar, defendo que podemos mostrar que (1) e (2) são consistentes, adicionando uma terceira proposição, ou seja,

3. O mundo tem um equilíbrio ótimo entre as pessoas salvas e perdidas, e aqueles que nunca ouviram o evangelho e estão perdidos [porque] não teriam acreditado mesmo que tivessem ouvido [o evangelho].

A ideia aqui é que, devido à liberdade humana, o equilíbrio entre salvos e perdidos no mundo real (que inclui, lembre-se, o futuro, bem como o passado e presente) é o melhor que Deus poderia obter; e Ele arranjou tão providencialmente o mundo que quem acreditaria no evangelho, se ouvisse, nasce em um tempo e lugar na história em que ele o ouve. Então, quem quer ou mesmo iria querer ser salvo será salvo. Enquanto (3) é ainda possivelmente verdadeira, mostra que não há inconsistência entre (1) e (2).

Deus não é indiferente ao sofrimento das pessoas nas sociedades muçulmanas. Uma pessoa em uma sociedade muçulmana que nunca ouviu uma apresentação precisa do evangelho de Cristo não será julgada com base em se ela acreditava em Cristo, o que seria certamente injusto, mas sim com base em sua resposta à revelação geral de Deus na natureza e consciência. Se ela responde com fé a esta revelação, então ela será salva enquanto no Islã, embora não através do Islã. Se ela não responder e então se perder, ela não teria respondido ao Evangelho se tivesse ouvido. Alguém que responde a esta revelação geral será atraída pela revelação mais plena dEle em Cristo. Talvez ela irá seguir o conselho de Maomé, se puder, para ir ao povo do Livro (judeus ou cristãos) e pedir-lhes para explicar as coisas para ele. Talvez Deus irá trazer-lhe conhecimento do evangelho através de um sonho ou visão, como está acontecendo em países muçulmanos em todo o mundo. Uma pessoa que está realmente buscando a Deus irá responder a Cristo quando o evangelho é apresentada com precisão.



*A pergunta original foi escrita em inglês.

William Lane Craig