A Navalha de Ockham

#404

A Navalha de Ockham

Caro Dr. Craig,

Primeiro deixe-me apenas dizer que bênção é ter uma pessoa tão inteligente e incrível que defende a fé cristã com a verdade, mas também o faz com amor e compaixão! Deus abençoe você e seu ministério! Agora a minha pergunta de hoje refere-se ao livro de Lee Strobel "The Case for a Criator" [Em Defesa de um Criador]. Teve uma parte do livro em que Strobel pergunta a você "por que tem que ser um Criador?" e você respondeu dizendo "minha opinião, a Navalha de Ockham iria eliminar quaisquer Criadores adicionais". Então, minha pergunta hoje está em 3 perguntas:

1.Defina o que é a Navalha de Ockham?

2. Como esse princípio (científico) ou teoria eliminaria a necessidade de deuses extras?

3. Como a Navalha de Ockham prova a existência de um Deus único?

Eu absolutamente amo o seu ministério e agradeço-lhe por tirar o tempo para responder às minhas perguntas. Saiba que você está em minhas orações e você é uma das muitas pessoas que me inspiram para defender a fé cristã.

Seu em Cristo,

Kyle

Estados Unidos

United States

A Navalha de Ockham (nomeado por causa do grande teólogo medieval Guilherme (William) de Ockham [1287-1347]) é um princípio que rege a inferência para a melhor explicação. Ele afirma, Não multiplique causas além da necessidade. Em outras palavras, não temos justificação em postular apenas as causas que sejam necessárias para explicar o fenômeno em questão. Propor outras causas seria gratuito.

Ateus na Internet às vezes abusam da Navalha de Ockham dizendo que porque o ateísmo é mais simples do que o teísmo (tendo uma entidade a menos), é o melhor ponto de vista. Mas a Navalha de Ockham não diz: Prefira uma teoria mais simples. A simplicidade comprada ao preço de adequação explicativa é uma barganha de tolo. Uma teoria explicativamente adequada irá postular algumas causas adicionais para explicar o fenômeno em questão, e a Navalha de Ockham nos aconselha a não postular mais causas do que as necessários para explicar o efeito.

Naturalmente, a realidade nem sempre é simples, de modo que uma explicação mais complexa pode de fato ser o caso. Uma ilustração divertida deste fato é o livro do Sesame Street Sherlock Hemlock and the Great Twiddlebug Mystery [Sherlock Hemlock e o Mistério do Grande Twiddlebug], em que o detetive astuto inventa uma explicação fantasticamente complicada para explicar o que são, aparentemente, as sobras da festa de aniversário de uma criança. No final da história, verifica-se que a sua teoria maluca estava certa!

No entanto, a ideia é que Sherlock não estava justificado em postular todas as suas causas fantásticas porque ele estava multiplicando causas além da necessidade. Uma explicação mais modesta era preferível. A hipótese subjacente à Navalha de Ockham é que ao raspar [eliminar] as causas desnecessárias, você é mais propenso a obter a explicação correta.

Então, ao inferir a um Criador do universo, seria uma violação da Navalha de Ockham postular mais de um Criador, porque um Criador é suficiente para explicar o fenômeno clamando por uma explicação (isto é, o começo do universo).

Assim, em resposta às suas perguntas:

1. Defina o que é a Navalha de Ockham? Um princípio aconselhando-nos a não multiplicar causas além do necessário para explicar o fenômeno em questão.

2. Como é que este princípio (científico) ou teoria elimina a necessidade de deuses extras? A pergunta está colocada de forma errada. O ponto é que não há necessidade de deuses extras! Um é suficiente para explicar o fenômeno. Postular quaisquer deuses a mais seria gratuito. Se houvesse uma necessidade de deuses extras, então a Navalha de Ockham não eliminaria ele ou eles.

3. Como é que a Navalha de Ockham prova a existência de um Deus? Ela não faz isso. Ela se limita a proibir nossa postulação de mais de um na ausência de qualquer evidência para eles. Nós temos nenhuma justificação em postular apenas o número de divindades necessárias para explicar o efeito. Assim, o argumento cosmológico kalam prova a existência de (pelo menos) uma divindade, e a Navalha de Ockham nos impede de postular mais.

William Lane Craig