AirAsia QZ8501 da Indonésia e o Problema do Mal

#409

AirAsia QZ8501 da Indonésia e o Problema do Mal

Caro Dr. Craig,

Primeiro de tudo, gostaria de agradecer-lhe por todo o enorme trabalho que tem feito para defender a fé cristã. Muitos dos meus amigos cristãos têm sido abençoados por seu ministério, especialmente na apologética. Além disso, suas obras têm sido o que finalmente me trouxe, uma ex-agnóstica, a Cristo há três anos. Em segundo lugar, gostaria de pedir desculpas por qualquer erro gramatical ou ortográfico já que o inglês* não é a minha primeira língua.

A minha pergunta é com respeito a uma das recentes/últimas notícias. Eu sou uma indonésia vivendo em Surabaya e o acidente QZ8501 teve um enorme impacto sobre mim. Mas acima de tudo foi um grande choque para uma amiga minha. Ela é uma cristã frequentando a igreja Mawar Sharon com seus pais. Seus pais eram pessoas tão maravilhosas, bem como bons cristãos. Mas, então, eles viajavam no voo # QZ8501, enquanto minha amiga ficou em casa. Você sabe o resto da história.

Ela perdeu a fé, e teve um efeito relativamente destruidor na minha fé. Ela tem sido uma cristã por anos e uma das pessoas que me levou a Cristo. Esmagou a minha fé, assim como o meu coração ver o lugar vazio na igreja onde ela costumava se sentar. Já faz mais de um mês e eu não sei o que fazer para trazê-la de volta para Deus.

Ela começou a questionar cada cristão, inclusive eu. Aqui está a pergunta dela que eu gostaria de lhe perguntar:

1. A morte dos pais dela já tinha sido pré-determinada por Deus? Suponhamos que ela tenha tido um pesadelo no dia anterior ao voo QZ8501 e tenha contado aos pais sobre o assunto. E assim eles tivessem decidido não voar e, claro, ainda estivessem vivos agora. O livre arbítrio deles cancelaria de alguma forma a pré-determinação de Deus? (Eu li o seu livro 'The Only Wise God' e ele me deu uma visão sobre como responder. No entanto, eu sinto que preciso te perguntar no caso de eu ter passado por cima de alguns pontos)

2. A segunda pergunta que gostaria de lhe fazer é menos intelectual. Ao lidar com o problema da dor e do sofrimento, eu sei que a vítima não precisa de argumentos intelectuais. Minha amiga precisa de Jesus como sua fonte de conforto e paz. Eu sei que você é um filósofo e apologista, mas eu espero que você possa me dizer o que devo fazer para lidar com ela, assim como com a minha própria fé falha: o que posso dizer a um cristão de coração partido que começa a se afastar de Deus porque Ele tomou os pais dele?

Dr. Craig, por favor, ajude-a. Ou, mais precisamente, por favor, me ajude tanto na minha própria fé relativamente recém-nascida e em meu esforço desesperado de trazê-la de volta para Deus. Ela era uma das pessoas que me apresentou a Cristo através de seus atos e palavras. Faz um mês desde que ela primeiro apertou seu punho em direção a Deus, e eu estou com medo de que vá continuar.

Sua ajuda será muito apreciada. Obrigada pelo seu tempo.

Atenciosamente,

Devina

Indonésia

Indonesia

Nossos corações estão com você, Devina, ao pensarmos em sua perda trágica.

É em momentos como estes que temos de ter bem presente a distinção entre o problema intelectual do mal e o problema emocional do mal. Você e sua amiga estão, obviamente, sofrendo emocionalmente dos graves prejuízos que cada uma de vocês experimentou; ela, de seus pais, e você de sua amiga. Nada realmente mudou para tornar o problema do sofrimento inocente mais difícil intelectualmente. Você e ela já estavam cientes de pessoas inocentes que morreram em acidentes de avião, para não mencionar aqueles que pereceram no tsunami de anos recentes. No entanto, essas mortes não fizeram com que você ou sua amiga perdessem a sua fé. O que mudou é que o problema do mal se tornou intensamente pessoal. Há um componente emocional nessas perdas que não estava presente na morte dessas outras pessoas.

O que isto significa é que você precisa tomar medidas para lidar com o problema emocional do mal. Agora mais do que nunca você precisa manter sua vida devocional, estar envolvida na oração diária e leitura da Bíblia, participar na adoração coletiva significativa, ter comunhão com outros cristãos e compartilhar seu fardo com eles. Ao deixar de frequentar a igreja sua amiga está se cortando fora dos próprios recursos que irão ajudá-la, fornecendo-lhe cura emocional.

Ainda assim, ter respostas para o problema intelectual do mal pode nos ajudar a lidar com esses problemas emocionais quando eles surgem. Então, em resposta a suas perguntas:

1. Enquanto o plano de Deus para os pais da sua amiga incluía o fato de que eles iriam morrer neste acidente aéreo, Ele não o pré-determinou causalmente. Sua vontade em relação a vida deles era, evidentemente, não que eles morressem com anos de intervalo após persistente batalhas com doença ou dor, mas que deveriam ser tomados juntos, rapidamente para Seu lado. A morte deles se enquadra no plano providencial de Deus para a história humana, que é o de estabelecer o Seu reino entre os homens. Deus tem boas razões para permitir que eles morressem neste acidente, caso contrário Ele não teria permitido isso. Mas como você sabe a partir da leitura do The Only Wise God [OÚnico Deus Sábio],a providência soberana de Deus sobre a história humana não implica que Ele determine causalmente tudo o que acontece. Este evento foi o resultado de uma multiplicidade incompreensível das escolhas humanas livres que Deus não determinou. Se os seus pais tivessem decidido não viajar naquele voo por causa de um sonho, então o plano de Deus teria tomado um rumo diferente. O plano providencial de Deus teria que ter levado em conta aquela livre escolha, em vez das escolhas com que Ele teve que trabalhar. O plano providencial de Deus não anula escolhas livres de humanos, mas antes leva-as em conta.

2. Esteja lá para ela como uma amiga solidária que escuta. Ajude-a a ver que a fé cristã oferece a ela esperança e conforto em seu sofrimento. Que bem faz ela se afastar de Deus? O ateísmo não tem nada a oferecer no lugar de Deus. A melhor esperança da sua amiga de haver algum bem substitutivo saindo desta tragédia é o teísmo, e o cristianismo é sua melhor esperança de imortalidade, tanto para os pais dela quanto para ela. Se ela dissesse que este é o pensamento torta-no-céu, então compartilhe com ela os argumentos em favor da existência de Deus e as evidências da ressurreição de Jesus, a base da nossa esperança.

Finalmente, se você ainda não leu a minha discussão do problema do mal no Filosofia e cosmovisão cristã (Inter Press, 2003), Devina, então gostaria de encorajá-la a fazê-lo e meditar no que diz lá. Espero que seja uma fonte de força para você, tanto intelectualmente quanto emocionalmente, ao você passar por esta prova e aconselhar sua amiga. Estamos orando por vocês duas.



* A pergunta original foi escrita em inglês.

William Lane Craig