Louvor a Jesus é Idolatria?

#413

Louvor a Jesus é Idolatria?

Olá Dr. Craig,

Primeiro, eu quero agradecer-lhe por tudo o que você tem feito pela causa de Cristo. Você tem sido um poderoso testemunho para a fé. Eu tenho sido continuamente desafiado no meu pensamento e conhecimento por seus escritos e discursos públicos. Você me ensinou a pensar criticamente e a como compartilhar a verdade cristã de uma maneira semelhante à de Cristo.

Eu sou um estudante de filosofia, pensando em entrar ao ministério apologético. Em meus estudos e meu tempo de compartir o evangelho, tenho tido que enfrentar muitas das objeções comuns ao Cristianismo. Uma das objeções mais recentes veio de um homem judeu com quem estava compartindo o evangelho. Parece que uma das coisas cruciais que o estava impedindo era a adoração de Jesus. Ele não conseguia ver como isso, em nenhuma maneira, não iria acabar em idolatria, já que (como ele afirmou) "você estaria adorando um homem em vez de Deus". Claro, eu tentei apontar que Jesus tem duas naturezas, mas parece que este ponto foi perdido. Você tem maneiras úteis para explicar nossa adoração a Jesus de uma forma que passe por encima essa objeção? Como deveríamos entender nossa adoração a Jesus? Nós o adoramos como deidade e simplesmente admiramos a sua humanidade?

Quaisquer ideias suas sobre esta questão seria muito apreciada! Obrigado por tudo que você faz em nome de Cristo.

Adam

Estados Unidos

United States

Obrigado por sua pergunta, Adam, e seu serviço fiel ao nosso Senhor! Eu acho que eu posso ajudar você e seu amigo.

Seu amigo está correto que "adorar um homem em vez de Deus" seria idolatria. Mas a alegação de que o cristianismo implica a adoração de um homem mostra uma falta de compreensão da doutrina cristã da encarnação. A doutrina ortodoxa da encarnação promulgada no Concílio de Calcedônia é enfática ao dizer que no Cristo encarnado existe uma e apenas uma pessoa indivisível que tem duas naturezas distintas: uma humana e uma divina. Essa pessoa é a segunda pessoa da Trindade, o Filho, e portanto é divina. Ele não é uma pessoa humana, nem há outra pessoa que é Cristo e é humana. Essa seria a heresia de Nestorianismo que postula uma pluralidade de pessoas em Cristo. Há somente uma pessoa que é Cristo, e essa pessoa é divina. Portanto, não há nenhuma pessoa humana chamada "Jesus de Nazaré". Jesus é uma pessoa divina, e os teólogos medievais tiveram o cuidado de nunca se referir a Jesus como pessoa humana.

Agora, o que é verdadeiro é que essa pessoa divina tem uma natureza humana além da natureza divina que ele sempre tem tido. Ele assume uma natureza humana na concepção virginal de Maria. Mas a pessoa que Maria deu à luz era uma pessoa divina, e é por isso que ela foi chamada a Mãe de Deus. Quando as pessoas dizem que Jesus era humano e divino, elas não querem dizer que ele era tanto uma pessoa divina quanto uma pessoa humana, mas que ele era uma pessoa divina que tinha uma natureza humana além de sua natureza divina.

Só precisa ser acrescentado que nós, como cristãos, adoramos a pessoa de Jesus Cristo. Nós não adoramos sua(s) natureza(s); nós adoramos a ele. Nós não adoramos as propriedades de Deus; nós O adoramos. Como Cristo é uma pessoa divina, e como não há nenhuma pessoa que seja Cristo e que seja humano, simplesmente não há lugar para qualquer tipo de idolatria.

William Lane Craig