back
05 / 06

#374 Deus, o Mal e as Leis da Lógica

May 16, 2015
Q

Dr. Craig,

Eu amo o seu trabalho e tudo o que você faz! Eu acredito que você é um dos principais defensores da nossa fé hoje. Sou um missionário prestes a começar a viver na Inglaterra, e estou me preparando para as perguntas que podem ser feitas a mim.

Como um exercício mental, eu gosto de me fazer perguntas sobre minha fé, as quais sinto podem um dia ser feitas por um ateu ou agnóstico. Eu, por vezes, vou por uma trilha de pensamento que eu mesmo não consigo chegar a uma resposta satisfatória. Hoje, trago-lhe uma dessas trilhas de coelho. Em suas discussões sobre o problema do mal, você muitas vezes argumenta que um mundo de seres com livre-arbítrio, que escolhem seguir a Deus e negar todo o sofrimento, pode não ser "viável" para Deus criar. Embora pareça logicamente impossível criar um ser que seja livre, mas que só escolhe o caminho correto, ocorre-me que o próprio Deus criou a lógica. Por que ele deveria estar sujeito às regras da lógica? Deus não pode fazer qualquer coisa? Tanto quanto eu entendo Deus criou todas as coisas que existem. Ele é a entidade suprema. Assim, ele não pode criar um ser livre que o segue, não importa o quê? Claro, para a minha compreensão humana isso é impossível. Mas com Deus todas as coisas são possíveis. Ele não poderia ter criado um mundo onde a liberdade de escolha e felicidade suprema coexistissem?

Esta é uma pergunta que me mantém acordado à noite. O próprio Deus criou a razão e a lógica. Por que ele é subserviente a ela? Está faltando alguma coisa aqui? Espero que você possa ter o tempo para responder a esta pergunta que atualmente me atormenta. De qualquer forma, obrigado por tudo o que você faz e eu oro para que você saiba que tem feito uma grande diferença em muitas vidas!

Dylan

Estados Unidos

  • United States

Dr. craig’s response


A [

Estou feliz, Dylan, que você estará servindo ao Senhor no Reino Unido. Que Ele te use muito!

Primeiro, vamos esclarecer um mal-entendido evidente na sua pergunta. Quando dizemos que alguns mundos possíveis não são viáveis ​​para Deus, não estamos dizendo que tais mundos são impossibilidades lógicas. Não há impossibilidade lógica envolvida em um mundo sem pecado em que as pessoas sempre optam livremente por fazer a coisa certa. O ponto é que um mundo assim, embora logicamente possível, pode ser inviável para Deus porque as contrafactuais necessárias para materializar tal mundo podem não ser verdadeiras.

Imagine um mundo possível em que o apóstolo Pedro livremente afirma a Cristo nas mesmas circunstâncias em que ele o negou. Nada logicamente impossível sobre isso! O problema é que se Deus tentasse realizar esse mundo, as coisas dariam errado porque Pedro, como sabemos, livremente negaria a Cristo se colocado nessas circunstâncias. Assim, tal mundo não é viável para Deus. (Se você não entender este ponto, você precisa ler um pouco mais sobre o conhecimento médio divino, por exemplo, o capítulo relevante em Filosofia e Cosmovisão Cristã [IVP, 2003].)

Em seguida, você diz que Deus criou livremente a lógica e, portanto, transcende as regras ou leis da lógica. Agora, por que você acha isso? Tal ponto de vista, afinal, não é a visão dominante da teologia cristã, mas encontra-se na ala extremista. De longe, a maioria dos teólogos cristãos não acha que Deus tem o poder de fazer o que é logicamente impossível ou de ter criado regras diferentes de lógica, de modo que o que é logicamente impossível teria sido logicamente possível. Você parece dar duas justificativas para uma visão tão radical: (1) Deus é onipotente, e (2) Deus é o criador de tudo.

Mas, quanto a (1), não há nenhuma razão para interpretar a onipotência implicando a capacidade de fazer o que é logicamente impossível (dê uma olhada no meu livro Urso Marrom Gansa Vermelha, "Deus é Todo-Poderoso" - ou a seção relevante no Filosofia e Cosmovisão!). Impossibilidades lógicas como a criação de um quadrado redondo ou fazer uma rocha tão pesada que seja impossível para Deus levantar não são "coisas", mas apenas combinações contraditórias de palavras. Além disso, se você pensar que Deus pode fazer impossibilidades lógicas, então o problema do mal imediatamente evapora, pois então Deus pode fazer com que o mal exista e que Ele exista, apesar que seja logicamente impossível! Mesmo que o mal prove que é logicamente impossível que Deus exista, Deus pode fazer que Ele não exista e que Ele exista, então não há problema!

Quanto a (2) eu não acho que as leis da lógica são coisas, mais do que buracos, quartas-feiras ou números são coisas. Portanto, enquanto Deus certamente é o Criador de tudo o que existe, não precisamos pensar que Ele é o criador das leis da lógica. Antes, eu diria que as leis da lógica são uma descrição do funcionamento da mente de Deus. A Bíblia diz: "No princípio era o Logos (palavra, razão), e o Logos estava com Deus e o Logos era Deus" (João 1:1). Deus é o pensador supremamente lógico e as leis da lógica são um reflexo de Sua mente, assim como a lei moral é um reflexo de Seu caráter. Assim como Deus não fez arbitrariamente a lei moral, Ele não fez arbitrariamente as leis da lógica.

O que está faltando, então, é a terceira via entre os chifres do seu dilema: as leis da lógica não são nem arbitrariamente a vontade de Deus nem são subserviente a elas; ao contrário, elas se baseiam em Sua natureza.

- William Lane Craig