back
05 / 06
bird bird

#337 Lidando com o Desdém do Mundo

May 16, 2015
Q

Olá, Dr. Craig, a primeira vez que ouvi falar de você foi na minha aula de introdução à filosofia. A totalidade de seu argumento cosmológico me surpreendeu porque durou menos de uma página! Seu argumento era o argumento mais curto e mais desprezado na nossa aula. Meu professor de filosofia discutiu-o brevemente e, a partir desse ponto em diante, eu fiquei viciado nos argumentos para a existência de Deus.

De qualquer forma, eu tenho lido livros de filósofos ateus, conversei com professores de filosofia ateus e amigos ateus. Nos livros e conversas, eu descobri que você é, provavelmente, o filósofo cristão mais odiado na terra! Sem mentira!

Sempre que eu menciono seu nome, vejo rostos de desprezo e ódio extremo. Como eu experimentei isso em minha vida [...] Eu queria perguntar como você lida com o pensamento de que muitos pensam em você como um filósofo imbecil e um tolo por acreditar em Cristo?

Aqui estão algumas perguntas pessoais:

Quem são os seus filósofos ateus favoritos?

O que você acha sobre o pensamento de que os ateus e os cristãos não podem ser amigos?

Quem são os seus filósofos, teólogos e historiadores cristãos favoritos?

Quantas línguas você fala?

Deus abençoe,

Um estudante de filosofia

Estados Unidos

  • United States

Dr. Craig

Dr. craig’s response


A [

Nossa, "o filósofo cristão mais odiado na Terra!" Que rótulo! Eu acho que a próxima vez que eu tiver uma palestra para fazer, eu vou pedir para ser apresentado com esse título!

Eu amo que o ataque de seu professor sobre os argumentos da teologia natural só serviu para aumentar o seu interesse por eles! Parabéns! Seja um pensador independente e corajoso!

Eu estaria mais preocupado com o desdém das pessoas se fosse baseado em algumas boas objeções aos argumentos. Mas vejo repetidamente que não é, e as objeções que passam no agrupamento na aula de Introdução à Filosofia são tipicamente fáceis de responder.

Dado o desdém que você encontra, no entanto, eu encorajo-o a simplesmente abster-se de mencionar o meu nome, mas apenas discutir os próprios argumentos. Estes argumentos não são de todos originalmente meus, mas são defendidos por pensadores muito importantes, tanto no palco tradicional quanto contemporâneo. Por exemplo, várias versões do argumento da contingência são defendidas hoje por Alexander Pruss, Timothy O'Connor, Stephen Davis, Robert Koons, Richard Swinburne, e outros. O argumento da sintonia fina [ou ajuste fino] é habilmente defendido por Robin Collins, John Leslie, Paul Davies, George Ellis, Michael Denton, e outros. As premissas-chave do argumento moral têm sido defendidas por especialistas, por eticistas como Robert Adams, William Alston, William Wainwright, Phillip Quinn, John Hare, Stephen Evans, entre outros. O argumento ontológico foi re-formulado e defendido por Alvin Plantinga, Robert Maydole, Brian Leftow, e outros. Se os seus professores não estão interagindo com o trabalho desses homens e pensando que apenas incompetentes defendem esses argumentos hoje, isto é apenas uma manifestação de sua falta de familiaridade com a literatura.

Para responder diretamente sua pergunta, no entanto, eu sempre digo aos meus alunos na Talbot que até que você esteja pronto para ser considerado um tolo por amor de Cristo, você não está realmente pronto para ser usado por Deus. Paulo foi confrontado com a ridicularização dos filósofos que ele conheceu em Atenas (Atos 17), mas isso não o impediu. Faríamos bem em seguir o seu exemplo.

Jesus assegurou aos seus seguidores: "Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e disserem todo o mal contra vós por minha causa" (Mat. 5:12). Estou confiante de que aqueles que me insultam fazem falsamente, se por nenhuma outra razão, imbecis não publicam no The Journal of Philosophy. Então, eu me alegro em ser abençoado por Deus.

Quem são os seus filósofos ateus favoritos?

Eu prefiro listar filósofos não-teístas, já que estes não são realmente ateus: Graham Oppy (que é assustadoramente inteligente), J. Howard Sobel, e Quentin Smith.

O que você acha sobre o pensamento de que ateus e cristãos não podem ser amigos?

Enquanto tais pessoas teriam, no nível mais profundo, uma falta de uniformização, o que torna impossível compartilhar plenamente suas experiências mais significativas, ainda assim, isso não é uma barreira para serem bons amigos, como nós normalmente usaríamos essas palavras. Mesmo entre aqueles que compartilham nossos compromissos mais profundos, eu diria que a amizade verdadeiramente profunda é rara.

Quem são os seus filósofos, teólogos e historiadores cristãos favoritos?

Entre os filósofos, Alvin Plantinga destaca-se e eu dediquei a minha trilogia sobre Deus e o tempo para ele, por seu modelo do que significa ser um filósofo cristão. Eu realmente não tenho teólogos favoritos, pelo menos, os teólogos sistemáticos, pois eu acho que a maioria deles não tem a formação filosófica para fazer sistemática realmente bem. Quanto aos historiadores (distinguindo dos filósofos da história), minha maior familiaridade é com historiadores do Novo Testamento, e aqui eu incluiria pessoas como John Meier, Jimmy Dunn e Dale Allison.

Quantas línguas você fala?

Falo apenas três línguas, inglês, alemão e francês, e eu tenho um conhecimento de leitura do grego do Novo Testamento e um punhado de Latim. Eu, na verdade, me destaquei em hebraico no seminário, mas esqueci de tudo! É usar ou perder!

Sorte nos seus estudos! Que você possa ajudar a levar adiante o renascimento da filosofia cristã para a próxima geração!

- William Lane Craig